Projeto Teogonia

Projeto Teogonia

O poema mitológico “Genealogia dos Deuses”, escrito por Hesíodo, mostra como o universo surgiu a partir do caos, e, deu origem a vida. Esse poema foi o escolhido para protagonizar o projeto, coordenado pelo professor Francisco Marinho, com o objetivo de unir duas vertentes: artes digitais e cinema de animação.

             Dessa forma, como no mito cosmogônico, ainda estaria no vazio essa junção entre arte digital e cinema de animação. A partir desse projeto percebe-se o resgate desta união, dando origem a novos caminhos para as duas áreas. Através da performance artística, que se comunica com a animação e a musicalidade, o projeto cria uma proposta de arte que representa bem o poema escolhido.

            Foram feitas três interpretações sobre o poema, através de animações, cada qual produzida por um artista do grupo de pesquisa do 1maginari0s, Marcos André Penna Coutinho, Alessandro Ribeiro e Italo Travenzoli. Primeiramente eles estabeleceram a ordem dos atos, que no total se contam nove, e assim cada qual fez um storyboard, para depois começar a produzir a animação. Eles utilizaram da linguagem processing, uma linguagem de programação voltada para artistas, e uma de suas bibliotecas, a J4K, anteriormente já pesquisada pelo aluno Flavio Haueisen, para capturar os movimentos através do kinnect e passá-los para o código. As imagens foram todas produzidas a partir das ferramentas do processing, cada artista tendo tido um olhar diferente sob o poema, como o Alessandro que baseou sua obra numa molécula de DNA, pelo surgimento da vida.

Animação pelo professor Alessandro Ribeiro
Animação Interativa pelo professor Alessandro Ribeiro

                A parte musical foi criada por Leandro Souza, doutorando de música na UFMG, que produziu sons para cada cena, e, para os movimentos mais bruscos. Um dos sons utilizados, por exemplo, foi o tilintar de sinos na cena em que Cronos ,nasce dando assim um tom mais austero a essa cena. A partir desses detalhes ele conseguiu diferenciar bem os momentos para o espectador da proposta. Ele utilizou de uma linguagem chamada Pure Data (PD), que é uma linguagem visual de programação voltada para a música, e com ela conseguiu conectar as cenas aos sons anteriormente produzidos.

              A performance artística foi executada por Maria Paula Ferreira Carvalho, estudante de dança na UFMG, que para cada animação fez uma coreografia diferenciada. Primeiramente, a partir de sua interpretação do poema, juntamente com Leandro, ela criou alguns movimentos bases, e levando em conta que cada uma das animações respondia de forma diferente a seus movimentos, ela desenvolveu movimentos diferentes para cada uma.

Performance da aluna Maria Paula
Performance da aluna Maria Paula

              Esse projeto, ao unir essas duas vertentes do curso, em junção da performance e da musicalidade, consegue levar o espectador a vivenciar uma nova experiência da história do poema. A partir da interpretação que os artistas deram a ele, tanto no visual, quanto no musical, é possível vivenciar a origem do mundo, contado pelos gregos, de forma pictórica.

Projeto de Extensão Circuito Cultural Vieira Servas

O “Circuito Cultural Vieira Servas” é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Fundação Rodrigo Melo Franco de Andrade (FRMFA) em parceria com a Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Piracicaba (AMEPI), formulada a partir de demandas de estruturação de um circuito cultural, apresentadas por gestores públicos e representantes da sociedade civil por ocasião de diversos contatos e articulações realizados junto às administrações locais, conselhos de cultura e patrimônio, entidades da sociedade civil e grupos culturais, em 2012.

O grupo 1maginári0 participa deste projeto realizando oficinas de extensão em municípios do circuito.

Mais informações podem ser encontradas no site: https://www.ufmg.br/vieiraservas/