II Oficina do Grupo de Estudos sobre Justiça e Direito Eletrônicos

II Oficina do Grupo de Estudos sobre Justiça e Direito Eletrônicos

Grupo de Estudos sobre Justiça e Direito Eletrônico (GEDEL), no dia 7 de julho de 2017, oferecerá em parceria comem parceria com a Escola Judicial do TRT3, PRUNART-UFMG (Programa de Apoio às Relações de Trabalho e à Administração da Justiça), IRIS (Instituto de Referência em Internet e Sociedade), GNET/UFMG (Grupo de Estudos Internacionais de Propriedade Intelectual, Internet e Inovação), OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e AMAT (Associação Mineira dos Advogados Trabalhistas), na modalidade presencial, a II Oficina do Grupo de Estudos sobre Justiça e Direito Eletrônicos –  GEDEL: Democracia e Direito no contexto do Big Data, da Inteligência Artificial e da Linguagem Maquinal .

A oficina vai ser ministrada pelo Desembargador do TRT 3ª Região, José Eduardo de Resende Chaves Júnior, pelo Professor Associado da Universidade Federal de Minas Gerais, Francisco Carlos Marinho, pelo Cientista da Computação, Leonardo da Silva Souza, pelo Engenheiro Agrônomo, Carlos Barbieri e pelo Professor das cadeiras de Informação e Contrainformação do MBA em Gestão de Negócios da Faculdade Unimed, Cláudio Andrade Rego.

Local: Auditório do TRT-MG (Avenida Getúlio Vargas, 225 – 10º andar – Funcionários – BH/MG)

Para conferir um pouco sobre o primeiro encontro: Link

#15 ARTE E TECNOLOGIA (UFMG)

#15 ARTE E TECNOLOGIA (UFMG)

Este ano o #15 Arte e Tecnologia contou com uma presença significativa de alunos e professores da UFMG. Essa presença além de demonstrar a qualidade individual do trabalho dos participantes mostra como a área de Arte e Tecnologia vem crescendo dentro da Escola de Belas Artes e Escola de Música da UFMG. Neste post procuro colocar um apanhado geral do que ocorreu no evento com fotos, resumos e poster dos trabalhos.

20161005_102522

Na imagem da esquerda para direita, Professora Marília Bergamo, Graduanda Maria Paula Carvalho, Professora Graziela Andrade e Graduando e Artista Digital Marcelo Padovani.

20161005_103421

Da esquerda para direita, graduando e artista digital Marcelo Padovani e doutorando de música Leandro Pereira de Souza.

IMG_3474

Da esquerda para Direita, Marilia, Leandro, Marcos Coutinho, Marcelo, Graziela e Angélica

20161004_140950

Professora Angélica Beatriz, apresentou no dia 04/10 na mesa Sonoridades e Dispositivos afetivos. Com o trabalho – Uso artístico de objetos técnicos concretos: motores, mídias analógicas e controladores computacionais

Máquinas industriais introduzem mudanças sensíveis e práticas no cotidiano de seus usuários. Enquanto a indústria destaca o caráter prático e utilitário, artistas se esforçam por revelar aspectos sensíveis da máquina, da eficiência ao erro, incluindo a experiência de habitar um mundo pleno de mediações automáticas. O uso artístico de objetos técnicos concretos não se restringe a um tipo específico de mecanismo, por isso o artigo aborda funcionamentos automáticos como motores, mídias analógicas e controladores computacionais. Com isso se pretende mostrar como cada tipo de mecanismo de origem industrial se abre ao jogo de reorientação de seus funcionamentos para uma atuação não utilitária, ligada à sensibilidade de nossa época. Nesse jogo, medem forças e colaboram a vontade do artista e a intencionalidade aparente presente nos automatismos da máquina.

20161005_102751

Graduando em artes digitais Marcelo Padovani, com apresentação de poster digital.

20161005_102934

Professora Graziela Andrade e Graduanda Maria Paula Carvalho apresentando trabalhos.

Dia 04/10 Maria Paula Carvalho apresenta na mesa Investigações, ilusões e imaginários o trabalho em conjunto com Graziela Andrade DANÇA DE GAIA: uma proposta de movimento interativo para a Teogonia de Hesíodo

Trata-se de um relato de experiência, do ponto de vista da dança, da participação no projeto Utilização de câmeras 3D para a animação de personagens de recorte. A proposta de interação entre som, imagem e movimento por vias da utilização de dois diferentes softwares, partiu da narrativa do mito da Teogonia de Hesíodo, dividida em distintos atos. Foi determinada uma relação causal entre os elementos da interação e, no que tange à criação de  movimentos, aqui se apresenta uma breve análise do processo com fundamentação em Rudolf Laban.

Dia 06/10 na Mesa Contexto e Conceitos Artísticos de Graziela Andrade e Jalver Bethônico IMAGEM RASTRO: Uma experimentação entre som, imagem e dança

Investiga-se os relacionamentos entre corpo, imagem e som fundamentados em articulações teóricas e em seus desdobramentos prático-artísticos. No presente trabalho, desenvolvido em uma disciplina dos cursos de Dança e do CAAD (EBA-UFMG), refletimos sobre a cadeia de transduções, justaposições e sobreposições de elementos na qual, diante de interferências recíprocas, se produz um resultado multissígnico: uma trilha musical e uma imagem, que são a soma dos registros de seguidas improvisações de duplas de bailarinos e músicos. Tal imagem resultante da captura dos movimentos pelo Kinect, é personagem e rastro, memória destituída dos gestos de músicos e bailarinos que se faz evidente mediando som, corpo, presente e passado.

IMG_3469

Professora Marília Bergamo, apresentou dia 05/10 na mesa Interatividade, gamearte e Hqtrônica o trabalho criado em conjunto com o Prof. Chico Marinho Tecnologia e Delicadeza: estratégias da simplicidade cotidiana na geração de resultados estéticos complexos.

Em arte computacional, a potencialidade e grandiosidade da tecnologia algumas vezes inibe e ofusca a busca pela simplicidade. Assim também se apresenta a poesia. Na arte generativa, entretanto, códigos sintéticos de extrema simplicidade produzem, às vezes ao modo da natureza, resultados complexos esteticamente relevantes. Este artigo procura refletir, e cometer algumas heresias científicas em prol de digressões poéticas de Manoel de Barros, pensar sobre o fazer da arte tecnológica de obras tecnicamente simples nas quais o nível de informação se desdobra em complexidade crescente durante a interação ou em sua gênese. Obras que usam poucos recursos de códigos e circuitos eletrônicos simples e delicados envolvendo uma lógica estética que foca os pequenos significados conduzindo produção dos sentidos para uma estratégia da delicadeza e da simplicidade às vezes pueril e cotidiana. Código e poesia são escrituras de grandezas do ínfimo.

No dia 06/10 na Mesa Do it yourself / Do it with others o doutorando Leandro P. de Souza apresenta o trabalho
Transnarrativa: do mito, do gesto, da música  ao código em conjunto com Chico Marinho e Marcos Coutinho.

A pesquisa intitulada de “UTILIZACAO DE CÂMERAS 3D PARA A ANIMACAO DE PERSONAGENS DE RECORTE” realizada pelo grupo “1maginári0: poéticas computacionais” com auxílio da FAPEMIG teve como objetivo desenvolver e explorar recursos de captura de movimentos 3D para uso em personagens não figurativos a partir de narrativas gestuais. Focamos desenvolver personagens procedurais construídos a partir dos dados obtidos em tempo real que recriam narrativas mitológicas a partir do gesto. Como exemplo de mito escolhemos um trecho do poema “Teogonia”de Hesíodo que narra a relação entre Urano e Gaia.  Abordamos a cadeia de leituras,mito, gesto, música e código, como ressignificações e ligações multimodaistransnarrativas desde o mito até o código passando pelo gesto, pela música, e pela dança.

Marcos Coutinho apresentou o trabalho individual Sobre o meio, a linguagem e a matéria artística digital

O meio ou o suporte e as linguagens, que são utilizados para o registro e  para a expressão_seja de ideias, de sentimentos, de objetos e de fenômenos_ afetam e são afetados, indelevelmente,  “pelo o quê se está representando” e “ pelo como e onde o está se executando”. Analisando a mudança/evolução que tais suportes e que  suas respectivas linguagens sofreram no decorrer da história da humanidade, constata-se a sua crescente transmutação caminhando cada vez mais em direção a uma dimensão conceitual, mental, sutil e arquetípica, até chegar à mídia eletrônica computacional que sustenta o que nomina-se, aqui , de “matéria digital”.  Conceitua-se, então, como sendo “matéria artística digital” o rearranjo dos números 0 e 1  em harmonias lógico matemáticas registradas e dispostas no tempo, tomando substância em interfaces específicas e expressando conteúdos estéticos próprios.

Alinhavo Obra para o Arte Computacional EmMeio#8.0

Alinhavo Obra para o Arte Computacional EmMeio#8.0

Para a exposição Arte Computacional EmMeio#8.0 que acompanha o evento #15 Arte e Tecnologia no Museu Nacional de República de 3 a 30 de Outubro em Brasília o grupo 1maginari0 leva a peça Alinhavo, que consiste em duas peças de arte computacional em comunicação entre si.

Baseado em questões de intimidade compartilhada a artista Thatiane Mendes e o artista Francisco Marinho desenvolveram um trabalho de dispositivo vestível com sensores de toque sobre pontos do corpo feminino. Este teve como inspiração a campanha #meuAmigoSecreto, realizada em redes sociais, contra o machismo vivenciado por mulheres no seu dia-a-dia. Neste caso, parte da ideia de uma intimidade que pode ser tomada pelo toque, para experimentar e imprimir graus de afetividade distintos. A partir disto, surgem algumas questões: até que ponto queremos que nossa intimidade seja revelada? Como ela pode ser revelada? E o quanto estimamos o toque no nosso dia a dia?

A partir desse conceito, o artista Fabrício Fernandino a artista Marília Bergamo, desenvolveram um trabalho responsivo ao toque do vestido. Um quadro como uma moldura de aquarela que apresenta uma linha que reage mecanicamente ao toque do dispositivo vestível. O trabalho discute também a delicadeza das peças, delicadeza associada a feminilidade e a ideia de um interator alinhavando conceitos a partir da fruição e da interação com a peça.

IMG_5829

Alinhavo na exposição #EmMeio8.0da 20161003_164630

Montagem da obra,  da esquerda para direita Marília Bergamo e Thatiane Mendes

20161003_165216

Montagem  da obra, Thatiane Mendes

8E5A4864

Interação – Obra Alinhavo

8E5A4867

Interação – Obra Alinhavo

Novo site

Novo site

Está vindo aí um novo site mais bonito e organizado. Ele está em obras, então não se assuste se algo estranho aparecer por aí! 😉

siteNovo

VII Simpósio Nacional/ III Simpósio Internacional de Literatura e Informática – Livro: do analógico ao digital

VII Simpósio Nacional/ III Simpósio Internacional de Literatura e Informática – Livro: do analógico ao digital

O CEFET-MG, a UFMG e a UEMG convidam você a participar do III Simpósio Internacional e VII Simpósio Nacional de Literatura e Informática a ser realizado no período de 09 a 18 de dezembro de 2014, no Centro de Atividades Didáticas (CAD) e Faculdade de Educação, da Universidade Federal de Minas Gerais. O tema geral desta edição é “Livro: do analógico ao digital”, promovendo diálogos possíveis entre arte, literatura e informática.

Mais informações

http://simposiodeliteraturaeinformatica.blogspot.com.br/

 

Oficinas Festival Vivo arte.mov – BH 2012

OFICINA URBANREMIX

Dias: 26 de Abril, quinta-feira
Horário: 14h às 17h
Local: Laboratório de Mídia – Conservatório da UFMG
Capacidade: 10 pessoas
Pré-requisito: saber inglês – oficina ministrada em inglês

UrbanRemix é um projeto colaborativo e locativo de som criado pelos professores Jason Freeman, DiSalvo Carl, e Michael Nitsche. O projeto convida os participantes a explorar e expressar a identidade acústica de seu entorno, descobrindo, gravação e remixando sons. Utilizando aplicativos de software para celulares, os participantes irão capturar os sons do ambiente, fazendo com que esses tornem-se base para remixes musicais. Através do projeto, espaços aparentemente familiares são reformulados e é criada uma nova experiência com paisagens sonoras únicas.

Em uma colaboração com o Festival Vivo arte.mov, o Urban Remix convida os participantes da oficina a capturar e contribuir sons de bairros locais, usando os aplicativos gratuitos para iPhone UrbanRemix / iOS e Android. Usando o site UrbanRemix, qualquer um, em qualquer lugar pode explorar os sons, contribuírem on-line, visualizá-los em um mapa virtual de Belo Horizonte, e misturar e compartilhar seus próprios sons.

UrbanRemix é gratuito. Para baixar o iOS ou Android, procure por “UrbanRemix” na iTunes App Store ou Android Market. Para obter mais informações sobre UrbanRemix visite : http://urbanremix.gatech.edu/

OFICINA ARTVERTISER

Dia: 25 e 27 de Abril, quarta e sexta-feira
Horário: 10h às 16h
Local: Laboratório de Mídia – Conservatório da UFMG
Capacidade: 10 pessoas
Pré-requisito: saber inglês – oficina ministrada em inglês

O Artvertiser imagina um futuro próximo onde a publicidade no espaço público pode ser substituída por arte. É um projeto urbano de realidade aumentada, que consiste em dispositivos binoculares portáteis especialmente criados através de um software para o projeto. O Artvertiser destaca a unilateralidade de leitura de imagens dos espaços públicos para ser lida de uma forma diferente e criticamente envolvente. Durante o workshop, os participantes irão criar obras visuais para substituir anúncios urbanos em Belo Horizonte em tempo real utilizando técnicas de visão por computador desenvolvido por Julian Oliver, Stewart e Damian Castro Arturo.

Em uma colaboração com o Festival Vivo arte.mov, o Artvertiser irá ministrar um workshop destinado a artistas e estudantes que têm interesse em Realidade Aumentada, “adbusting” e “culture jamming” (subversão publicitária e remix cultural). O tema principal do workshop é desenvolver e implantar comentários gráficos críticos sobre o impacto da publicidade sobre a cultura visual das nossas cidades.

O trabalho feito durante o workshop será apresentado em um passeio público nas ruas de Belo Horizonte, utilizando as “Unidades Artvertiser de intercepção Billboard”, – binóculos digitais especialmente criados e que transformam anúncios em arte.

Artvertiser é um projeto de Julian Oliver, Stewart e DamianCastro Arturo. Desde a sua primeira apresentação no festival de Berlim 2010 Transmediale, Artvertiser tem sido apresentado em Bruxelas, Roterdã, Madri e Helsinki.

Oficina Desenvolvimento de aplicativos para Televisão Digital

Promoção: CNPq/Labmídia-UFMG/Repia
Apoio: EEE/UFMG, Conservatório/UFMG

Dias: 15 a 18/02/2011
Horário: 08h30 às 13h30
Local: Laboratório de Mídia – Conservatório da UFMG

Professor: Orlewilson Bentes Maia – Universidade Federal do Amazonas – Aluno de Doutorado em Engenharia Elétrica – UFMG
Assistente: Manuel Guerra – Kabun/Repia
Monitor : João Paulo EEE-UFMG/Labmidia

Objetivo: Apresentação de linguagens e ambientes informatizados para criação de
aplicativos para desenvolvimento de conteúdo para TV Digital, com interatividade
e conectividade, visando a complementariedade da web e telefonia celular.
Apresentar o ambiente de desenvolvimento para TV Digital brasileira utilizando o
middleware Ginga, exemplificado em linguagem Nested Context Language (NCL), na
criação de aplicativos.